ENÉAS LOUR É ATOR, DRAMATURGO, CENÓGRAFO E DIRETOR TEATRAL

30 de jul de 2010

ESTREIA HOJE "ARLECCHINO"


ESTREIA HOJE
"ARLECCHINO"
Livre adaptação da peça 
"Arlecchino Servitore Di Due Padroni" de Carlo Goldoni
realizada por Enéas Lour
com o Grupo de Teatro do Clube Curitibano
Temporada de 30 de julho a 29 de agosto
no Auditório Alcides Munhoz (Clube Curitibano)
sextas e sábados às 21 horas e Domingos às 20 horas.



29 de jul de 2010

Tá difícil!

                          
          Tá difícil!         
                          

Até agora não consegui arrumar tudo!


A bagunça é generalizada.


Tempo pra nada.


A peça do Curitibano


- Arlecchino -


estréia amanhã


dia 30 de julho de 2010.


Meu computador insiste em


não funcionar no novo endereço,


assim também: o aquecedor,


a TV, o chuveiro, o fogão


e a pia da cozinha.


Tempo pra nada!

Semana que vem: outra vida, sem ensaios,
sem pedreiros, sem eletricistas, 
sem instaladores,
serralheiros, calheiros e pintores. 

Sem atrizes e sem atores.

Sem nada pra fazer e ... sem emprego.

Então espero poder voltar 
as atividades neste blog.

Enéas Lour


12 de jul de 2010

PAUSA


RE-REAVISO

EM FUNÇÃO DAS 
INTERMINÁVEIS
INTERMINÁVEIS
INTERMINÁVEIS
INTERMINÁVEIS
INTERMINÁVEIS
REFORMAS 
NO NOVO APARTAMENTO
(INFERNO!)
ESTE BLOG PERMANECERÁ 
SEM ATIVIDADE
ATÉ O DIA 29 DE JULHO
(aos incontáveis fãs, nossas mais sinceras desculpas!)

DIA 30 ESTRÉIA A NOVA PEÇA
DO GRUPO DE TEATRO DO 
CLUBE CURITIBANO
"ARLECCHINO"

8 de jul de 2010

JUVENTUDE



Pegue um dia qualquer da sua vida, 
pode ser um dia de chuva ou não, 
no outono ou no inverno, 
qualquer dia, 
desde que seja depois de que você tenha 40 anos 
e tenha filhos.

Pegue este dia e ponha seu filho sentado ao seu lado, 
na sala ou debaixo de uma árvore, 
no sótão ou na praia ao lado do velho barco
cheio de cicatrizes de areia.
Olhe para o seu filho e diga-lhe que ele não é imortal. 
Diga a ele que a vida desliza pelo tempo 
e que o Papa vai morrer, 
que Madonna vai morrer, 
assim como John Lenon morreu 
e que morreremos todos, um dia.

Diga que é verdade que a vida é eterna, mas,
com outros personagens 
que se substituem à cada cena 
que passa pelos anos. 
Diga que você vê nele 
- e através dele - 
um túnel que leva a um futuro 
que você nunca vai alcançar e nem ele. 

Diga que quando os homens
finalmente descerem em Marte, 
um outro, que não você e nem ele, 
descerá da escada da nave 
e colocará o pé sobre aquela longínqua areia vermelha, 

Diga que o poeta e astrônomo persa
Omar Kayhan
estava certo em seu Rubayat e que 
"a efêmera suavidade da vida, do amor e do prazer, 
são tudo o que nos resta 
e tudo o que nos devia interessar 
nesta curta jornada da vida".

Talvez ele não acredite em você,
ou melhor: certamente ele não acreditará em você
porque em seus olhos a luz cegante da juventude 
ainda brilha tão forte
que o impede de ver o mundo 
com seus minutos galopantes 
e suas horas disparadas. 

Mas, mesmo assim,  
você lhe terá dito tudo 
o que um pai tem a dizer a um filho.


E, depois de alguns anos, 
talvez sob o teto de uma outra casa 
que estará sob esta mesma lua 
que hoje viaja conosco, 
ele dirá ao seu neto 
o que aprendeu com você nesse dia.


Enéas Lour

6 de jul de 2010

Back to the Future (1985)


 
De Volta Para o Futuro 
é o primeiro de uma série 
de 3 filmes baseados nos personagens Marty McFly e Doc Brown. 
 Um jovem (Michael J. Fox) aciona acidentalmente 
uma máquina do tempo construída por um cientista 
(Christopher Lloyd) em um Delorean, retornando aos anos 50. 
Lá conhece sua mãe (Lea Thompson), 
antes ainda do casamento com seu pai, 
que fica apaixonada por ele. 
Tal paixão põe em risco sua própria existência, 
pois alteraria todo o futuro, 
forçando-o a servir de cupido entre seus pais. 
Originalmente, era intenção de Robert Zemeckis 
que a máquina do tempo fosse construída em uma geladeira. 
A idéia foi abortada porque havia o temor 
de que crianças resolvessem escalar geladeiras 
e até mesmo entrar nelas, por causa do filme. 
Destaque para a famosa cena em que Marty McFly 
toca Johnny Be Good, sucesso de Chuck Berry, 
em um baile de colégio nos anos 50.
 
 
 

5 de jul de 2010

VERGONHA!


VERGONHA!

 


O MEU CANDIDATO AO SENADO 
É O GUSTAVO FRUET



MOVIMENTO PELA ÉTICA 
E A DECÊNCIA NA POLÍTICA




1 de jul de 2010




Um dia desses em que Deus não tinha nada para fazer, 
enquanto lavava a louça do almoço, 
sozinho lá na cozinha do céu, Ele pensou bem assim:

- Pra quê tudo isso, né? ... Pra quê? ... 

E suspirou cansado de tanta coisa para pensar e fazer.
Mas, o pensamento inquiridor não O deixava 
terminar suas tarefas diárias 
e insistia em latejar lá no interior da cabeça Dele:

- Pra quê tudo isso? ... Pra quê? ...

Ele terminou com a louça e estendeu o pano de prato 
no varalzinho pra tomar sol 
quando pensou mais uma vez  assim: 

- Eu fiz tudo certinho! ... 
Enrolei cada pelotinha de barro 
e fiz os planetas todinhos! 
Um por um! Pus no forno! ... 
Aguardei milênios tostando a crosta dos milhares de sóis; 
gelei os cometas; polvilhei as galáxias; 
fritei os meteoritos; relativisei o tempo, 
cozi a quadratura do círculo; 
pus a fórmula da antimatéria em banho-maria...
tudo no capricho! 
Tudo certinho! ... 
E agora, passados trilhões e trilhões de anos, 
estou aqui, sozinho, velho e cercado de anjos cacheados
ouvindo essas músicas sacras intermináveis!  
Dia após dia! Noite após noite! ... 
E, pior, nada está perfeito ainda! ... Tudo tem defeito! 
É um desequilibro ionosférico aqui;
uma rotação planetária acelerada ali; 
um buraco-negro entupido ali, 
um encontro de tensões de eixo de nebulosas acolá! ... 
Extinção de humanidades então, nem me fale! ... 
É uma atrás da outra! ...

Sentou-se no beiral da porta e um anjinho com cara de saci
trouxe uma cuia de chimarrão para o Mestre de Todos Os Mestres 
e Senhor do Universo tomar.
Ele despejou a água quente na beira da cuia 
e cofiou a barba branca.
E olhando para o céu infinito 
Ele pensou, mais ainda, bem assim:

-  Se eu quisesse, desfazia tudo isso agora mesmo! 
Assim, sem um mais e sem um menos! 
Assim como criei tudo desfaço tudo! 
É um direito meu, afinal, não é? 
Desfaço e fim! ... Ninguém tem nada com isso! ... 
Fiz, desfaço! 
Não devo satisfação a ninguém 
uma vez que não há ninguém superior a mim em todo o universo! ...

Tomou um gole do chimarrão e repensou assim:

- Não! 
Bobagem minha! 
Uma trabalheira dessas e de repente 
jogo tudo pra cima feito uma criança? 
Não! Vou deixar o tempo correr, vamos ver no que dá! 
Vamos ver! 
...

 Levantou-se ajeitou a túnica branca 
e levou a cuia com a bomba 
e a garrafa térmica até a porta do escritório central.
Entrou e os anjos secretários correram 
para abrir a porta do Seu gabinete.


Sobre a mesa um trilhão de despachos a serem autorizados.

Ele suspirou novamente.

Um dos anjos estagiários puxou a cadeirona 
de ouro e couro e o velho Deus sentou-se.


Pegou o mouse e abriu a Sua pasta de e-mails.
Surgiram ali na telinha mais de um pentrilhão de pedidos para: 
o time ser campeão; o filho arranjar emprego;
para curar cefaléias; 
para ganhar na loteria; para aquisição de casa-própria; 
para casamento; para isso e para aquilo, como sempre!
...

O velho Deus suspirou de novo e deletou a pasta toda.
Estava mesmo muito cansado o nosso velho Deus!


Enéas Lour