ENÉAS LOUR É ATOR, DRAMATURGO, CENÓGRAFO E DIRETOR TEATRAL

17 de jan de 2011

UM NOVO TEATRO

O Teatro Guaíra foi, nos idos anos 80,
a “casa” da classe teatral do Paraná.
Lá, na cantina da “Tia Diva” nós,
atores, diretores, técnicos,
estudantes e professores, jornalistas,
bailarinos, fotógrafos, produtores, enfim, toda a classe,
nos encontrávamos e tomávamos café e coca-cola
e comíamos “nega-maluca” e “misto-quente”
e falávamos sobre os nossos planos,
nossos projetos, nossos sonhos.
E ríamos muito.
Lá, nos conhecíamos.
Trocávamos idéias e (re)criávamos o teatro local.

Era um tempo onde todos nós
exercitávamos esse relacionamento muito próximo,
muito estimulante.
Conhecíamos todos os funcionários do Teatro,
da camareira ao diretor superintendente
e mantínhamos contato entre nós.
Conviviam ali, naquele tempo,
jovens atores, diretores e
os “medalhões” do teatro curitibano.

Bem, foram-se esses tempos.
O mundo mudou, não é? Pois é.

Hoje em dia o Centro Cultural Teatro Guaíra,
relegado ao completo abandono,
é um elefante branco, burocrático e encastelado
onde a classe artística não tem acesso
e nem interesse em freqüentar,
pois, nada acontece ali.

Os últimos oito anos de gestão,
em especial,
transformaram o dito “centro cultural” (sic)
nessa masmorra modorrenta,
que a nova geração não conhece
e não tem como freqüentar.

Agora,
quando uma nova diretoria assume o Teatro Guaíra,
sob o comando de uma mulher muito capaz e inteligente,
que inclusive já esteve, por dois anos, neste comando
e deixou saudades de toda a classe artística,
uma luz se acende lá no fim do túnel.
Uma esperança,
não de voltar aos velhos tempos, coisa impossível,
mas, a possibilidade de retomar um espaço
que propicie a todos nós, artistas paranaenses,
a perspectiva de voltar a propor projetos,
voltar a discuti-los e reinventá-los.

Espero, sinceramente, que a Mônica Rischbieter
possa restaurar, não só aquele edifício tão desgastado,
mas, também, oportunize a interação,
tão necessária, em todos os sentidos,
entre os artistas no dito
“Centro Cultural” Teatro Guaíra.
 
Enéas Lour

Um comentário:

La Vanu disse...

Caaaaaaaaara, a Tia Diva! A cantina! Eu ficava horas naquela cantina! Dali pra todas as salas de ensaio e aos palcos! Muito boa lembrança. Salvem o Guaíra!