ENÉAS LOUR É ATOR, DRAMATURGO, CENÓGRAFO E DIRETOR TEATRAL

20 de mar de 2010

ONDAS E NUVENS



ONDAS E NUVENS


Não há o que impeça um homem
de ser solitário.
Nem mulher, nem mesa,
nem cama podem impedir
um homem de ser só.
Os homens são assim : solitários.
Nem todos, mas, alguns.

As mulheres não.
Elas
- talvez porque os tenham parido -
não são assim.


Elas são uma espécie diferente
da dos homens.
São como uma colônia única,
todas elas, as mulheres.
Ou pelo menos quase todas.
Algumas não.
São as exceções: as solitárias.
Como por exemplo: as gêmeas.
Repare: uma das gêmeas sempre
é solitária e a outra nunca!
A solitária vai crescer com
a razão amarrada nos cabelos.
A outra vai crescer
como quase todas as outras mulheres:
junto com a terra.

Claro que esta é uma equação natural
e, portanto, figura assim:
toda repleta das incógnitas humanas.

Os meninos, antes de serem homens,
têm muito de mulher,
ao contrário das meninas
que são mulheres desde que nascem
até ficarem velhas
e então se assemelharem aos homens.

Todas as velhas são homens femininos,
com suas rugas, suas orelhas cabeludas,
suas vozes roucas e suas lembranças repetitivas.
Já os velhos não!
Os velhos são homens
velhos solitários somente,
como sempre foram
- nem todos, mas, alguns.
E os outros velhos são
quase mortos somente.

Nem um nem outro
- homens e mulheres,
meninos e meninas -
não são,
em ponto algum que seja,
nem melhores e nem piores entre si!

São tão somente assim:
 alguns e nenhuns.

Como ondas e nuvens.
Pessoas.
Não se distinguem a olhos desmedidos!

São como músicas
que vão aos poucos adquirindo suas letras
durante a vida!

Alguns solitariamente e outros em coro.



Texto e Ilustração de Enéas Lour



3 comentários:

Rosy Greca disse...

Lindo Lour, lindo!!!
Rosy

Camila Liz Vancke disse...

Que texto lindo! Parabéns, Enéas Lour, você está escrevendo cada vez melhor! Camila

Mariangela C. disse...

Realmente. Texto muito criativo! Vou acompanhar seu blog. MC